164° dia. De Piripiri a Piracuruca

164° dia. De Piripiri a Piracuruca

set 18, 2013

Estávamos muito animados para conhecer o Parque Nacional de Sete Cidades.
São 26 km asfaltados a partir do centro de Piripiri. Da portaria até o Centro de Visitantes, mais 4 km. Fomos atendidos pelo guia João, que nos acompanhou na visita. É obrigatório contratar um guia e a visitação pode ser feita a pé, de bicicleta ou de carro. Nós, é claro que fomos de bicicleta. Coitado do João! Foram 10 km percorridos durante 4 horas sob um sol escaldante, visitamos todas as Sete Cidades e finalizamos com um delicioso banho na piscina natural que se forma ao lado de uma nascente d’água.
Muitos enigmas envolvem o parque. O local abriga formações rochosas de cerca de 190 milhões de anos e ricas inscrições rupestres que datam de 5 a 10 mil anos. Há diversos vestígios de civilizações primitivas, fenômenos naturais, olhos d’água misteriosos e muitos outros. O parque tem 6.221 hectares  e está localizado nos  municípios de Piracuruca e Brasileira. O Parque Nacional de Sete Cidades é conhecido como um local encantado, paraíso de historiadores, arqueólogos, ufólogos e aventureiros. As surpreendentes pedras têm semelhança com animais, pessoas e objetos.
As curiosas formações rochosas da região foram divididas em sete conjuntos, chamados de Sete Cidades. O antigo território dos índios tabajaras desperta a imaginação daqueles que o visitam e procuram encontrar diversas formas nas estranhas rochas.
O cenário de pedras aguçou o imaginário popular, e estudiosos criaram certas teorias sobre o local.
Até o escritor Erich von Däniken, autor de “Eram os deus astronautas?” já esteve no local e escreveu que seres extraterrestres construíram as Sete Cidades.
As pinturas rupestres poderiam ser dos Vikings, segundo o pesquisador francês Jacques de Mahieu. Ele esteve no Brasil em 1974 e viu nas inscrições uma semelhança com a escrita rúnica (o mais antigo alfabeto germânico).
Já o historiador austríaco, Ludwig Schwennhagenn, considera os fenícios os primeiros habitantes das Sete Cidades. Em busca de novas rotas comerciais, chegaram por aqui e fizeram do local cenário para cerimônias religiosas. Ele também acredita que o povo Tupi (que de acordo com os índios Tupinambás e Tabajaras chegaram ao norte do Brasil, vindos de um país que não existia mais) é remanescente do continente perdido de Atlântida. A ideia é reforçada pelo italiano Gabriele D’Annunzio, soldado, poeta e aventureiro que em uma viagem a Ica, no Peru, viu o que dizia ser o desenho do continente americano onde estão rotas oceânicas ligando Atlântida ao Delta do Parnaíba.
Muita imaginação!
O passeio é realmente fantástico.

wpid 20130918 112611 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

              Pedra da tartaruga

wpid 20130918 120655 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

              Pedra do americano

wpid 20130918 113933 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

      Sítio da mão de seis dedos

wpid 20130918 115435 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

               Vista panorâmica

wpid 20130918 123525 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

Mapa do Brasil ou pássaro        alimentando seu filhote

wpid 20130918 130740 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

wpid 20130918 123420 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

             O beijo dos lagartos

wpid 20130918 130811 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

                      Guia João

O hotel e o camping que ficam dentro do parque não estão funcionando, há a possibilidade de acampar em uma das duas portarias. Existe um hotel fazenda com restaurante ao lado e ainda uma pequena venda perto da portaria.
Entramos pela portaria sul e saímos pela portaria norte para seguirmos até o centro de Piracuruca. Foram mais 18 km.
Nessa portaria conversamos um pouco com Osiel Monteiro, o Curiólogo, como gosta de ser chamado. Ele é guarda do parque e famoso guia de turismo nascido na região. É apaixonado pelo lugar e dá palestras de Educação Ambiental.

wpid 20130918 135717 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

      Osiel Monteiro, o Curiólogo

Compartilhe e Curta!
 164° dia. De Piripiri a Piracuruca

Sobre

Romulo e Mariana são casados, amam o cicloturismo e estão dando a volta ao mundo em uma bicicleta tandem.

Outras Aventuras:


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/pacot547/public_html/doisnabike.com.br/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273