Moscou

Moscou

jul 12, 2014

Depois de 37 horas dentro do trem, descemos numa das estações de  Moscou e meio desorientados começamos a procurar o endereço do hostel barato que tínhamos pesquisado, a pé mesmo, pois o GPS mostrava que estava a 2 km dali.

O prédio estava caindo aos pedaços, sem placa, ficamos na calçada olhando e decidimos tocar a campainha. Então um cara desceu e com gestos nos expulsou de lá. Não entendemos nada!

Andando e tentando pegar um sinal de wi-fi, localizamos outro hostel perto dali, pois se depender de  placas você não acha um local barato.

Nesse hostel pagamos o equivalente a R$ 120,00 por um quarto sem janelas, sem ventilador, sem ar condicionado, sem café da manhã e com banheiro coletivo. Só ficamos porque o cansaço era grande. Pelo menos tinha uma TV  e assistimos a vergonhosa derrota do Brasil de 7×1 para a Alemanha.

No dia seguinte mudamos para outro hotel mais barato. O lugar era podre e minúsculo, estava em obra, que estendia-se até meia noite!

Como pensamos em talvez seguir viajando de trem até a China, fomos a embaixada para tentar pegar o visto. O lugar é o inferno na Terra. Os russo não sabem fazer fila, todo mundo fura fila. Muito tumulto, desorganização e pessoas muito mal educadas. Fomos muito mal tratados, e pior de tudo, disseram que não poderiam nos dar o visto porque estávamos ilegais no país! Como assim???

Foi aí que um rapaz na fila tentou ajudar quando soube que éramos brasileiros, ele disse que havia trabalhado em São Paulo e foi explicando o que estava acontecendo: não tínhamos  o registro de turista na cidade, todos os lugares em que você fica hospedado, devem te dar um, é lei na Rússia! Esse cara nos deu carona até o metrô e seu número de telefone.

Pedimos o tal registro no hotel e a recepcionista se fez de desentendida e tentou enrolar. Ficamos muito apreensivos e fomos até a embaixada brasileira. Essa situação foi muito estressante.

Na embaixada nos trataram muito bem e confirmaram que sem o registro estávamos ilegais, mas que há uma tolerância de 10 dias para regulamentar a situação. Explicamos o que houve no hotel e a funcionária da embaixada ligou indignada para a tal recepcionista e mandou que providenciasse imediatamente. Voltamos ao hotel, pegamos nossas coisas e o papel e fomos para outro hostel. Na embaixada nos explicaram que os hotéis baratos não gostam de dar esse documento porque geralmente funcionam de maneira irregular ou ilegal…

Esse outro hostel também ficava num prédio caindo aos pedaços, mas pelo menos lá dentro era limpo e confortável. Existem muitos prédios assim que ficam dentro de condomínios e nos remetem ao tempo do regime comunista.

No dia seguinte, visitamos o Kremlin e a Praça Vermelha. Lá conhecemos uma família de brasileiros e fizemos alguns passeios juntos.

Comer na Rússia está sendo um problema. Comida que parece boa é cara e com cardápio em russo. As batatas recheadas e o strogonoff que estávamos doidos para comer aqui estavam péssimos… Estamos abusando dos fast foods. Mais tarde conhecemos uns restaurantes que são quase um self-service, você aponta o que quer e a pessoa atrás do balcão coloca na sua bandeja, dá tipo uns 20 reais por pessoa, mas o atendimento é sempre péssimo.

A cidade é muito limpa, bonita e organizada, as avenidas principais são em círculo (o que facilita muito o deslocamento) e há muitos passeios para pedestres entre as ruas.

O metrô é pontualíssimo e com muitas linhas. Uma estação mais linda que a outra. O problema é que os nomes estão em cirílico, mas arranjamos um mapa do metrô em inglês e ficou muito fácil.

Atravessando as ruas de Moscou: tem muitas passagens sob as largas avenidas, quando uma avenida não tem faixa de pedestres, é só procurar pelas placas com indicação de passagem subterrânea.

É de impressionar a quantidade de detectores de metal nesse país, das estações de trem e metrô até nos shoppings e centro de informações turísticas, eles estão presentes.

Palavras importantes:

Obrigado: Cпасибо (spassiba)

Sim: Да (dá)

Não: Нет (niet)

Por favor/De nada: Пожалуйста (pajalsta)

DSC 0721 300x225 MoscouDSC 0716 300x225 Moscou 

DSC 0723 300x225 Moscou DSC 0725 300x225 Moscou

Shopping Gum: Um Shopping Center só com lojas de grife, tudo é caríssimo. Antigamente era um centro comercial com lojas estatais.

DSC 0726 300x225 Moscou DSC 0727 300x225 Moscou DSC 0728 300x225 Moscou DSC 0729 300x225 Moscou DSC 0730 300x225 Moscou DSC 0731 300x225 Moscou DSC 0732 300x225 Moscou DSC 0733 300x225 Moscou DSC 0734 300x225 Moscou

Praça Vermelha com a Catedral de São Basílio e Mausoléu do Lênin

DSC 0738 300x225 Moscou

Estátua de Karl Marx

DSC 0739 300x225 Moscou

Teatro Bolshoi

DSC 0741 300x225 Moscou DSC 0742 300x225 Moscou DSC 0746 300x225 Moscou DSC 0748 300x225 Moscou DSC 0749 300x225 Moscou DSC 0750 300x225 Moscou DSC 0752 300x225 Moscou DSC 0753 300x225 Moscou DSC 0754 300x225 Moscou DSC 0756 300x225 Moscou DSC 0758 300x225 Moscou DSC 0759 300x225 Moscou DSC 0760 300x225 Moscou

 

Henrique e seus pais. O menino deu uma aula de História da Rússia!

DSC 0762 300x225 MoscouDSC 0763 300x225 MoscouDSC 0765 300x225 MoscouDSC 0766 300x225 MoscouDSC 0767 300x225 Moscou 

Kremlin de Moscou: A palavra russa Kremlin (Кремль) significa “fortaleza” ou “forte”. Foi sede do governo russo, desde antes dos czares até 1712, quando Pedro, o Grande, construiu São Petersburgo e transferiu para lá a  capital do país. Só em 1917, com a revolução socialista, a capital volta para Moscou e o Kremlin volta a ser sede do governo. Ele é muito grande e na cor vermelha. Por ordens de Lênin e Stalin, várias partes do Kremlin foram demolidas, para abrir grandes avenidas em torno da Praça Vermelha. Ao longo dos anos ele foi sendo reformado diversas vezes. Dentro dele há muitas atrações, é como um pequeno bairro com diversos prédios históricos, como o palácio presidencial, as tumbas onde eram enterrados os czares, catedrais (igrejas ortodoxas) e etc

DSC 0715 300x225 Moscou

Batata recheada???

DSC 0769 300x225 Moscou

Um bode vestido passeando

 

 

 

 

Compartilhe e Curta!
 Moscou

Sobre

Romulo e Mariana são casados, amam o cicloturismo e estão dando a volta ao mundo em uma bicicleta tandem.

Outras Aventuras:


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/pacot547/public_html/doisnabike.com.br/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273